Blog

7 passos para melhorar o processo produtivo na indústria

Processo produtivo na indústria.

Para melhorar o processo produtivo na indústria é preciso levar em consideração alguns aspectos como os recursos disponíveis e a estrutura da empresa.

Como o maior desafio, possivelmente o gestor da empresa irá enfrentar a capacidade de integrar todos os processos que compõem a indústria – o que, de fato, não é uma tarefa fácil.

Mas, neste artigo, vamos mapear como é possível fazer essas melhorias. Além de outros recursos, o objetivo principal vai ser mostrar a importância da automação industrial para o processo produtivo na indústria.

Então, se você quer saber quais são os 7 passos para melhorar o processo produtivo na indústria, continue a leitura!

 

1 – Mapeie seu processo produtivo

Para melhorar a gestão produtiva na indústria, iniciamos com uma ferramenta muito importante: o mapeamento de processo.

O mapeamento nada mais é que um recurso de gerência utilizado para organizar todos os passos de um processo produtivo. Por exemplo, representá-los em forma de entradas, saídas e ações internas do processo, com transparência e simplicidade.

 

Imagem aérea de uma fábrica e seu processo produtivo na indústria.

Com esse recurso, também torna-se muito mais fácil a identificação de falhas, que podem passar despercebidas em meio à repetição das tarefas que já são do cotidiano dos colaboradores da fábrica.

 

2 – Identifique as falhas no processo produtivo

Atrasos, gargalos (mais detalhados a seguir), inconformidades e anomalias devem ser considerados, se comprometerem o bom funcionamento do processo produtivo.

Os problemas que podem ser vinculados a essas falhas variam desde a falta de recursos, desperdícios até atividades repetitivas.

Mas, atenção: as funções que agregam mais valor mesmo que não estejam tão próximas ao chão de fábrica, também devem ser consideradas. Por exemplo, nas etapas em que existe o contato direto com o cliente, é necessário sempre ter o cuidado de oferecer a melhor experiência possível, como transmitir confiança e credibilidade.

 

+Leia Mais: “Quanto custa um robô industrial colaborativo” não é a pergunta certa.

 

3 – Proponha soluções para gargalos do processo produtivo

O grande ‘x’ da questão, referente aos gargalos, é o obstáculo que ele traz para a empresa ao entrar em conflito com as metas almejadas: como atrasos de prazo ou orçamentos extrapolados. 

Portanto, os gargalos não são nada fáceis de serem identificados. Por essa razão, é preciso investigar com muita cautela as causas e corrigi-las o quanto antes.

 

Operário realizando um processo produtivo na indústria.

Para se ter uma ideia mais concreta de como essa pesquisa pode ser feita, algumas perguntas pertinentes a serem colocadas em prática são:

  • O que é possível fazer para evitar atrasos ou retrabalhos?
  • Existem tarefas repetitivas que podem ser automatizadas?
  • Existe a possibilidade de eliminar tarefas desnecessárias?
  • Quais processos podem ser simplificados?
  • O controle do processo é eficiente?

Feito isso, vamos ao próximo passo.

 

4 – Otimize seu processo produtivo ao máximo

Em tempos de Indústria 4.0, é imprescindível iniciar a otimização no processo produtivo.

Por exemplo, a Internet das Coisas é um grande avanço para a otimização que vem com a solução de um dos maiores desafios para melhorar o processo produtivo na indústria: a integração da cadeia produtiva.

Nesse cenário existe uma ótima dinâmica entre distribuidores, gestão, unidades fabris e o próprio produto, promovendo uma cadeia de valor muito bem interligada.

A otimização pode contribuir com o processo produtivo em termos de:

  • Melhoria na gestão de recursos;
  • Melhoria na eficiência de máquinas e de pessoal;
  • Diminuição de paradas no processo;
  • Redução de custos referente ao ciclo produtivo.

Vale destacar que otimizar o processo produtivo, juntamente com a Indústria 4.0 resulta em melhorias em grande parte das decisões que passam a ser mais ágeis e automáticas, contando sempre com a ajuda imprescindível da automação industrial.

 

Robôs trabalhando para otimizar o processo produtivo na indústria.

No âmbito da automação industrial e da Indústria 4.0, a Fersiltec oferece soluções em robótica colaborativa (como ainda veremos neste artigo), trazendo para o Brasil robôs colaborativos – ou cobots – de última geração.

A confecção e instalação de painéis de automação e painéis elétricos também estão entre os serviços e produtos em que a Fersiltec é referência.

 

+ Leia Mais: A robótica colaborativa industrial chegou para as pequenas indústrias

 

5 – Calcule novamente a sua demanda

Este é um fator que muitas empresas não levam em conta, por parecer uma tarefa óbvia. Mas, a verdade é que essa realidade não pode ser subestimada. Por isso, nesta etapa, devem ser avaliados aspectos como:

  • Demanda de produtos ou serviços;
  • Capacidade produtiva;
  • Perspectivas de crescimento do negócio.

Essas boas práticas básicas devem ser lembradas para evitar falhas, como  comprometer-se com um prazo que não pode ser atendido. E todas as vezes que a demanda exceder o limite, ela deve ser reconsiderada.

 

+ Leia Mais: O Retorno do Investimento em Automação Industrial

 

6 – Reduza gastos desnecessários

Não podemos deixar de falar do corte de gastos – que também pode parecer óbvio, mas, muitas vezes, não é. Um bom gestor industrial deve dominar o cálculo associado aos custos do processo produtivo.

Para isso, é fundamental utilizar conceitos de análises de valor para que sejam feitas as projeções de redução dos gastos desnecessários. Devem ser levados em consideração conhecimentos em:

  • Logística;
  • Administração;
  • Produção industrial.

 

7 – Conte com apoio extra para o processo produtivo

Apesar da expansão da Indústria 4.0, ainda se ouve falar pouco sobre os robôs colaborativos. Mas não se deixe enganar, pois eles vêm com tanta força quanto esse novo advento industrial.

Os robôs colaborativos trazem um cenário no chão de fábrica muito particular e interessante para o processo produtivo, principalmente em termos de flexibilidade e eficiência. Leia mais em nosso artigo que detalha sobre os robôs colaborativos.

Esse “braço amigo” proporciona muitas possibilidades à empresa, trazendo uma dinâmica muito maior para o processo produtivo.

 

Além do processo interno, a robótica industrial traz vantagens em termos competitivos ao mercado, principalmente pela agilidade no processo produtivo e adaptabilidade aos novos modelos industriais, que serão cada vez mais dinâmicos e versáteis.

Comentários

Não perca nossos posts sobre Automação Industrial

Assine nosso blog e receba novos posts diretamente em seu e-mail.