Blog

Como Convencer o Gestor a Investir em Manutenção Industrial

guia para convencer o gestor a investir em manutenção industrial

A maioria dos programas de manutenção são apenas reativos. Ou seja, ao invés de antecipar quais problemas podem acontecer, a maioria das fábricas apagam um incêndio após o outro.

Esta abordagem é ineficiente e há ótimas maneiras de melhorar estas táticas por meio da Manutenção Centrada em Confiabilidade (RCM) e da manutenção preventiva.

+ Leia Mais: Como Escolher a Melhor Estratégia de Manutenção para a sua Empresa.

 

O que é valor para o gestor da sua empresa?

Antes do gestor de manutenção de uma planta levar as suas demandas para os superiores da fábrica, é necessário definir o que é valor.

Ao entender o que é valor e como os gestores veem valor os times de manutenção conseguem ser mais persuasivos em suas demandas por recursos e novos investimentos. Este é o primeiro passo para ser bem sucedido em convencer o gestor a investir em manutenção.

Antes de mais nada, os três tipos de valores são:

  • Conveniência: São coisas que fazem a vida mais segura, melhor e mais fácil;
  • Melhoria de processos: Isto permite a utilização plena dos ativos e a diminuição do Downtime (tempo de inatividade);
  • Financeiro: Como o próprio nome já diz, este valor significa reduzir custos, liberando recursos para aumentar os lucros da planta.

Com melhor entendimento sobre o que é valor, líderes de manutenção estarão em melhores condições para convencer os gestores.

Mas como eles contextualizam o conceito de valor? Como o conceito de valor é aplicado nas situações de negócio da planta industrial?

Vamos revisar alguns pontos básicos para entender isso:

  • Vantagem competitiva: São as vantagens que uma empresa tem em relação a outra. Podem ser de dois tipos. A vantagem diferencial se refere a produtos e serviços que a empresa pode oferecer em relação a outra. E a vantagem comparativa trata de quanto dinheiro uma empresa ganha a mais do que outra.
  • Fluxo de caixa: É o ciclo pelo qual a empresa recebe investimentos, gasta dinheiro com seus ativos e processos de manufatura e colaboradores. Para em seguida vender seus produtos e ganhar dinheiro.
  • Economia de custos: É a quantidade de dinheiro que a empresa vai economizar ao adotar uma determinada ação.
  • Prevenção de custos: É a prevenção de um custo futuro por meio da adoção de uma determinada ação quando está claro para todos que sem tomar essa ação um custo extra irá surgir no futuro.
  • Custo de oportunidade: São benefícios que a empresa poderia ter ganho caso tivesse tomado uma decisão diferente.
  • Indicadores Chave de Performance (KPIs): Inclui o custo de manutenção por unidade, tempo médio entre falhas, disponibilidade do equipamento e outras medições que avaliam a performance do programa de manutenção.

Depois de definir como os programas de manutenção contribuem para os três valores, os líderes de manutenção podem apresentar esse conhecimento para os seus superiores e gestores.

Mas para que isso funcione realmente, é preciso que esses profissionais de manutenção saibam como lidar com os gestores.

 

Prepare-se para a reunião com o gestor

Antes de apresentar os benefícios de um programa de Manutenção Preventiva para os gestores da empresa é preciso coletar dados, ter embasamento técnico. Selecionamos algumas dicas para você estar melhor preparado para a reunião:

  • Coletar tantos dados sobre economia de custos e prevenção de custos quanto possível;
  • Apresentar como planejar um bom programa voltado para aumentar o lucro da empresa;
  • Mostrar o que foi feito até o momento e também como será dado continuidade.

Isto não apenas irá chamar a atenção de colegas de manutenção e gestores, mas também de outros colaboradores.

Por fim, determinar qual equipamento é o melhor para fazer o trabalho de manutenção. Existem equipamentos de diagnóstico de desgaste e falhas que geram relatórios e tabelas automaticamente. Essas tabelas e relatórios de dados podem até mesmo calcular as economias de custo obtidas com um processo de manutenção.
É importante mostrar as evidências das ferramentas e processos de manutenção, isto é, apresentar dados e resultados concretos obtidos com essas ferramentas e processos.

Da mesma forma, os líderes de manutenção devem saber mostrar como eles conseguiram melhorar os processos e economizar recursos com as ferramentas utilizadas. Seguindo esses passos, os líderes de manutenção conseguirão persuadir e convencer os colaboradores de todos os níveis da planta sobre a importância da manutenção e confiabilidade.

 

Manutenção não é custo: Como justificar investimento em manutenção

 

Ao mesmo tempo que muitos trabalham duro para melhorar a confiabilidade das plantas industriais, muitos outros fazem comentários sobre como é difícil fazer isso em um ambiente de contínuos cortes de gastos.

Em geral, a manutenção é vista como um custo, e por conta disso é sempre uma das primeiras coisas a serem cortadas dos planos de investimentos das empresas.

O problema é que algumas empresas vão longe demais com esses cortes. Quem se preocupa com a confiabilidade das plantas industriais procura sempre uma forma destacar a importância da capacidade de manutenção da empresa, para que os gestores não realizem cortes além do recomendado.

+Leia Mais: Torne o Departamento de Compras um Aliado da Manutenção Industrial.

Uma forma de abordar essa questão é falar de manutenção como sendo um “investimento em capacidade industrial”. Se você quer convencer seu gestor a não cortar gastos com manutenção, use uma linguagem que ele entenda.

Por exemplo, fale de investimento em capital e retorno sobre investimento (ROI na sigla em inglês).

  • Qual a capacidade total da sua planta/empresa?
  • Qual o seu nível de eficiência?

Esses dados podem ser estabelecidos por meio de números formais, como a Eficiência Global dos Equipamentos, chamada em inglês de OEE (Overall Equipment Efficiency).

 

Justifique com números

Outra maneira é fazer uma aproximação do nível de eficiência da empresa. Um exemplo é dividir a produção de um dia pela produção que seria alcançada caso todos os equipamentos estivessem operando à velocidade máxima por todo o tempo possível.

Depois de obter esses dados, é preciso avaliar a necessidade de recursos para adicionar novas capacidades. Vamos supor uma planta com quatro linhas de produção, quanto custaria para adicionar uma quinta linha de produção?

Se você está rodando a planta com 40% de eficiência, e você acredita ser possível aumentar esse valor para 50%, qual seria o ganho em capacidade da planta? Seria de 25%! Veja o porque na conta abaixo:

    (50%-40%/40%)= 25%

Se a planta possui eficiência de 60%, a conta é a mesma, mas o acréscimo de 10% na eficiência resulta em um aumento de capacidade menor do que os 25% anteriores.

(70%-60%/60%)= 17%

Investir em manutenção pode resultar em um ganho de produção equivalente à instalação de uma nova linha de produção. Mas por um valor de investimento muito menor.

 

Ou seja, você pode obter ganhos de capacidade de duas formas:

  • Investir em manutenção e confiabilidade;
  • Investir em novas linhas de produção, fábricas e equipamentos.

 

Investir em manutenção é mais barato e a empresa só tem a ganhar!

De maneira geral, essa conclusão é especialmente verdadeira para empresas que estão investindo em novas máquinas e equipamentos. Mas mesmo se sua empresa não seja uma dessas, as mesmas melhorias na confiabilidade exemplificadas acima também reduzem os custos da planta e o desgaste das máquinas em torno de 18% a 25%.

Inclua esses valores no cálculo de Retorno Sobre o Investimento (ROI). Isso fará toda a diferença para convencer o gestor a investir em manutenção, aprovando o seu projeto.

+ Leia Mais: 6 Bons Motivos para Terceirizar a Manutenção Industrial

Para fechar o artigo, vamos ressaltar mais alguns argumentos importantes:

  • Muitas plantas que não possuem programas de manutenção operam com eficiência em torno de 40% a 60%. Um nível muito baixo.
  • Uma planta que opera acima de 80%, terá ganhos menores de eficiência com melhorias na manutenção. Mas ainda assim terá ganhos de capacidade.
  • É relativamente fácil melhorar a eficiência e capacidade de produção de plantas ineficientes. Há exemplos de plantas que aumentaram a capacidade de produção de 35% para 65% em apenas um ano. Tudo isso apenas adotando programas de manutenção preventiva e preditiva.
  • Por fim, para realizar todas essas melhorias, é preciso fazer as estimativas (de eficiência e capacidade da planta), desenvolver planos e, principalmente, saber “vender” o programa de manutenção para os gestores da fábrica.
  • Se você tivesse mais recursos, em que você investiria, quanto custaria e quais seriam os ganhos de produção obtidos com bons programas de manutenção? E finalmente, compare tudo isso com os custos de adicionar novas linhas de produção e mesmo fábricas, qual das opções é melhor?

 

Quer uma ajuda  para elaborar um plano e cronograma de Manutenção Preventiva? Enviamos para o seu e-mail um material que pode lhe ajudar. É só clicar aqui.

Deixe os seus comentários sobre os níveis de eficiência e capacidade da planta em que você trabalha. Compartilhe conosco a sua experiência na área.

 

Comentários

Não perca nossos posts sobre Automação Industrial

Assine nosso blog e receba novos posts diretamente em seu e-mail.